Ano XIII | Edição 743 | 04 de Maio de 2015

CULTURA

30 de Abril de 2015

SESI Big Band celebra o Dia Internacional do Jazz

noticia

A cantora de jazz Taryn Szpilman se apresenta na Praça Ecológica, em Ponta Negra

Quinta-feira, dia 30 de abril comemora-se o International Jazz Day. Criado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Unesco. A data será celebrada, em Natal, com show da SESI Big Band, com participação especial das Cordas da Orquestra Sinfônica da UFRN e da cantora de jazz Taryn Szpilman, na Praça Ecológica de Ponta Negra, a partir das 20h.

O International Jazz Day Natal é um evento oficial da Unesco e relembra a importância deste gênero musical e sua contribuição na promoção de diferentes culturas e povos ao longo da história. Acontecerão 196 shows simultaneamente em todo o mundo.

New Orleans (EUA), Londres (Inglaterra), Patagônia (Argentina), Shangai (China), Milão (Itália) são alguns do lugares que sediarão. Em Natal, o show, gratuito, será realizado pelo SESI RN, através do projeto SESI Arte, e o Fest Bossa & Jazz e conta com o apoio da Prefeitura de Natal.

A apresentação principal "The International Jazz Day Global Concert 2015" acontecerá em Paris, na França, na sede da Unesco, e contará com a participação de músicos de renome internacional, como o pianista Jonh Beasley; o trompetista Till Bröner; entre outros. O concerto poderá ser acompanhado ao vivo pelo site oficial jazzday.com . 

Alceu Valença e Monobloco confirmados no Carnaval Multicultural de Natal 2016

noticias 30 de Abril de 2015

Alceu Valença e Monobloco se apresentaram este ano no Carnaval


 

Em razão do sucesso do Carnaval Multicultural neste ano, a Prefeitura do Natal está sendo demandada a promover em 2016 um evento de padrão semelhante ou ainda melhor. Por isso, o planejamento da festa já começou, inclusive por proposta dos próprios artistas. 

Alguns estão fazendo contato e demonstrando interesse em participar dos festejos de Momo na cidade. Dois deles já confirmaram sua presença durante encontro na segunda-feira (13) com o prefeito Carlos Eduardo e o secretário municipal de Cultura, Dácio Galvão, no Rio de Janeiro: o cantor Alceu Valença e a banda Monobloco.

Tanto Alceu Valença quanto Monobloco se dispuseram a reeditar suas participações recentes no Carnaval - o cantor e compositor pernambucano animou os natalenses em 2013 e a banda carioca sacudiu o polo multicultural de Ponta Negra no domingo carnavalesco deste ano.

A Prefeitura, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), vem recebendo contatos prévios de artistas e de seus representantes que manifestam a intenção de se apresentar no Carnaval de Natal. Eles explicam que fecham contratos para se apresentar em diversas regiões do País durante o período carnavalesco e normalmente fecham suas agendas com antecedência.

 

 

Celebração das Mães com Maria, neste sábado na Praça Cívica de Natal

noticias 30 de Abril de 2015

Padre Antonio Maria, grande atração da festa religiosa, em homenahem ao Dia das Mães

O Dia das Mães, este ano em Natal será comemorado de uma maneira diferente e uma semana antes da data. A Igreja Católica promove a Celebração das Mães com Maria, que será neste sábado, dia 2 de maio, com a presença do padre Antônio Maria, Tony Allyson e Vera Lúcia. O evento será uma festa beneficente para a Associação do Terço e acontecerá na Praça Cívica de Natal, às 16h.

Não serão vendidas mesas, só cadeiras, que custam R$ 50. Quem preferir ficar m pé, os ingressos individuais custam R$ 30. Na compra concorre ao sorteio de 10 motos Honda e 1 Corsa Classic. As cadeiras e ingressos estão sendo vendidos na casa do Terço de Natal, localizado à Avenida Rio Branco, no Centro da capital.

Padre Antônio Maria, nome adotado por Antônio Moreira Borges é natural do Ro de Janeiro. Ele nasceu em 17 de agosto de 1945. Além de sacerdote, ele também é cantor, tendo se apresentado em duetos com Roberto Carlos, Agnaldo Rayol e Ângela Maria, bem como realizado uma apresentação para o então Papa João Paulo II. Conhecido como "Padre dos Artistas", celebrou o casamento de Alexandre Pires e do casal Angélica e Luciano Huck. 

 

O AMOR PELA MÚSICA

O abecedário ele aprendeu na Escola Municipal Rosa da Fonseca, no Rio de Janeiro. Já a primeira comunhão aconteceu na Paróquia São José, em Magalhães Bastos, subúrbio carioca. "Apesar de sempre ter sido muito religioso, até os 15 anos de idade nunca tinha pensado em ser padre. Queria, sim, ser cantor. Gostava tanto de música que vivia nos programas de auditório da Rádio Nacional. Foi lá que conheci artistas como Emilinha Borba, Ângela Maria, Cauby Peixoto, Nelson Gonçalves, Dalva de Oliveira, Dolores Duran, Orlando Silva, Vicente Celestino e outras grandes estrelas da música brasileira. Mais tarde, meus ídolos passaram a ser os da Jovem Guarda, especialmente Roberto Carlos", conta o padre .

 

A VOCAÇÃO

A primeira vez que ele começou a pensar em seguir a vida religiosa foi quando o pároco Aldemar Ferrari, quem o padre Antonio Maria ajudava a rezar a missa em latim, perguntou, durante uma reunião com os futuros coroinhas, quem dali gostaria de ser padre. "Lembro que eu fui o único a responder: "Deus me livre!". Também não esqueço as minhas justificativas: padre não casa, é chamado de urubu pelas crianças na rua e eu não tenho vocação. O padre Aldemar me deixou falar. Ao final, apenas voltou-se para mim dizendo que eu só saberia se tinha vocação se experimentasse. Foi o suficiente para eu voltar para a casa pensando enquanto pedalava minha bicicleta."

Depois deste dia,  padre Antônio Maria conta que nunca deixou de pensar no assunto. "Os sinais que Deus enviava para mim também aumentaram. As pessoas vinham falar comigo, me perguntavam e me presenteavam com lindos folhetos religiosos e eu comecei a travar uma luta interna. Foi quando, por indicação de uma vizinha e para acalmar meu coração, ingressei na Ordem Terceira de São Francisco", relata o padre.

 

O CHAMADO DE DEUS

A decisão de ser padre partiu de uma notícia triste: a de que sua sobrinha, Ana Cristina, filha de sua irmã mais velha e que tinha acabado de nascer corria risco de morte. "Voltei para casa no trem da Central do Brasil pedindo a Deus para que a deixasse viver e dizendo que eu estava disposto a seguir o seu chamado, precisava apenas de um sinal", lembra. Assim que chegou em Magalhães Bastos, Antonio contou ao presidente da Congregação Mariana a sua angústia. Foi quando teve o sinal que esperava: "O senhor Máximo La Cava me deu o livro Imitação de Cristo e pediu que eu o abrisse aleatoriamente e deixasse Deus falar comigo. A mensagem não podia ser mais clara: "O reino de Deus está dentro de ti. Converte-te a Deus de todo coração. Deixa este mundo miserável e tua alma encontrará descanso"

A certeza de ter escolhido o caminho certo era tão grande que cinco meses depois do nascimento de Ana Cristina (hoje avó de Caio Augusto e Julia Maria, sobrinhos bisnetos de Antonio Maria), o padre partiu para Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em companhia do padre Aldemar Ferrari, para o seminário. Segundo ele, foi uma decisão bem tomada. E até hoje, o padre Antonio Maria é servo do Senhor. 

Gaúcha Lacy Dellacoste adota Natal e compõe música sobre a Praia do Meio

noticias 30 de Abril de 2015

Embora tenha nascido na cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, a gaúcha Lacy Dellacoste adotou Natal como sua cidade. Residindo na capital do Rio Grande do Norte há mais de 20 anos, a cantora, compositora e poetisa nutre uma paixão inconfundível, não só pela "Cidade do Sol", mas também por uma das praias do litoral potiguar: a Praia do Meio, onde mora desde que chegou em Natal.

Lacy conta que veio morar em Natal porque seu falecido marido, que era oficial do Exército foi transferido para a capital potiguar. Isso, há mais de 20 anos. Desde que vieram para a "Cidade do Sol", moraram em algumas casas, mas sempre na Praia do Meio. Há 15 anos, a gaúcha de Santa Cruz do Sul ficou viúva, e para surpresa de todos, não quis voltar para o seu estado de origem e adotou não só Natal, mas também a Praia do Meio como seu "porto seguro".

Mãe de uma única filha, que mora no estado do Amapá, Lacy conta que foi em Natal onde ela despertou para a música. Sua paixão pela Praia do Meio é tanta que fez com que a compositora homenageasse a praia com duas composições. "A primeira eu não gravei, já faz alguns anos que compus, mas a segunda, "O que tem a Praia do Meio", faz parte do meu primeiro CD, lançado em maio do ano passado. Nesta música eu demonstro todo o meu carinho pela Praia do Meio", disse Lacy.

A gaúcha tem mais de 100 composições. A maior parte delas, ela conta que recebe pronta. "Eu estou dormindo e sonho com a letra da musica, aí me levanto e vou anotar para não esquecer. Outras componho de relance", explica. Suas composições são bastante diversificadas. Falam de amor, da natureza e de outros temas que lhe vem a cabeça, como a canção "Cheiro de Mar, uma das preferidas da cantora. "Cheiro de Mar" eu compus sentada na areia da Praia do Meio, enquanto esperava uma amiga. Me veio a letra e escrevi na areia mesmo para não esquecer", recorda.

 

A PRAIA DO MEIO

A gaúcha tem a Praia do Meio, como seu "porto seguro". É lá, que ela mora desde que chegou a capital e diz que de lá não sai. Na sua composição "O que tem a Praia do Meio" ela fala dos encantos dessa praia. Das pessoas e lugares que marcaram, como alguns donos de barracas e a Casa do Matuto, local onde ela lançou seu CD. 

A Praia do Meio, para Lacy Dellacoste, é um refúgio. É o lugar que ela escolheu para viver. É lá onde ela fez amizades, sai para jantar, para dançar, toma sua cerveja, e principalmente, compõe suas canções. A Praia do Meio é para Lacy, o que o Cristo Redentor é para os cariocas.

 

O PRIMEIRO CD

A cantora gaúcha se prepara para gravar seu segundo CD. O primeiro, intitulado "Românticas e Relíquias", contém 16 canções, entre elas, "O que tem a Praia do Meio" e, "Cheiro de Mar". Além dessas músicas, compostas por Lacy Dellacoste, o CD conta também com canções de artistas nacionais, como Roberto Carlos, Emilio Santiago, Alcione e outros. "Beco da Lama, Berço do Samba", também é uma das composições da artista. Nessa música, ela presta uma homenagem ao tradicional Beco da Lama, no centro de Natal, local que reúne grandes boêmios, seresteiros e sambistas, ou seja, o berço cultural da capital potiguar.

"Românticas e Relíquias" foi gravado em um Stuúdio, em Parnamirim.  O CD foi produzido por Dorgivan Ernest Van. O lançamento aconteceu em maio de 2015, na Casa do Matuto, que está localizado, nada mais, nada menos, que na Praia do Meio.

Lacy Dellacoste foi convidada para fazer a abertura do projeto Seis e Meia, neste mês de maio.  A data, e a atração nacional, ainda não estão definidas. Apesar de ter mais de 100 composições  a  artista  diz que canta por lazer e nunca vendeu suas composições. "Tenho ciúmes delas e nunca procurei vendê-las", disse.

Além de cantar, compor e escrever poesia, Lacy Dellacoste também toca violão e diz com o maior orgulho que seu primeiro violão ela recebeu de presente do seu falecido marido. "Ele sabia que eu tinha vontade de ter um violão e me deu de presente. E a minha primeira composição eu fiz inspirada nele, no meu marido. Ele viajou a serviço e passou algum tempo fora. Então, com saudades eu compus uma música pra ele. Foi minha primeira composição", lembra.

 


JM