Ano XIII | Edição 734 | 28 de Fevereiro de 2015

CULTURA

27 de Fevereiro de 2015

O sertanejo Caddu Rodrigues é o convidado deste ano do Tô na Mídia

noticia

Caddu Rodrigues é o mais novo sucesso sertanejo que vem se destacando em todo Brasil

Pela primeira vez na história do Tô na Mídia, o evento coloca na sua grade de atrações o sertanejo. E a razão é explicada: além do ritmo ter ganhado os brasileiros e em especial os potiguares, a banda Caddu Rodrigues é uma das que mais vem lotando os principais bares e casas de show do Estado, com muita animação, o que se encaixa na proposta da festa que é a de fazer um carnaval fora de época, estendendo a folia momesca até o mês seguinte. A festa acontecerá no dia 7 de março, a partir das 15h, no Decky Bar, em Ponta Negra.

Com apenas dois anos de carreira, Caddu já é considerado um dos nomes em ascensão do cenário musical do Nordeste, tendo nas suas redes sociais um reflexo disso, com milhares de seguidores. Realiza uma média de cinco shows semanais e está sempre presente nos principais programas de entretenimento do Estado. Além de grandes shows por todo o Rio Grande do Norte, também já se apresentou na Paraíba, Pernambuco e Ceará.

Com repertório diversificado, passeia pelos clássicos do sertanejo e apresenta também sucessos atuais de artistas nacionais que se destacam nesse novo momento do estilo musical. Mas se destaca pelas músicas autorais que já estão na boca dos muitos fãs. Atualmente, trabalha oito canções suas, mas já chegou a compor mais de 150. Caddu gravou recentemente seu DVD, intitulado "Melhor Assim", nome de uma das suas músicas, atraindo grande público, e sendo uma das festas mais comentadas da capital, contando com a participação de grandes nomes do cenário local. 

Projeto MPB Petrobrás apresenta o cantor João Bosco

noticias 27 de Fevereiro de 2015

Nesse show, João Bosco faz um aparato dos seus sucessos

O cantor, compositor e violonista mineiro João Bosco, com 40 anos de carreira e uma obra de grande relevância para a Música Popular Brasileira, é atração em show voz e violão do projeto MPB Petrobras no dia 5 de março, às 20 horas, no Teatro Riachuelo, com ingressos a preços populares: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). 

No show de abertura o público confere o trabalho do cantor e compositor Ivanildo di Natal, que apresenta show com releituras de sucessos da música brasileira. O MPB Petrobras chega a Natal para promover a música popular brasileira nacional e local e democratizar o acesso a espetáculos de qualidade. O projeto conta com o patrocínio exclusivo da Petrobras e é uma realização da Caderno 2 Produções Artísticas. A produção local é da Agenda Produção.

Depois de mais de 40 anos de carreira e centenas de músicas compostas com Aldir Blanc, formando uma das maiores duplas da história da música brasileira, João Bosco chega ao CD, show e turnê homônimos "Não vou pro céu, mas já não vivo no chão" que, apesar de não ser explicitamente autobiográfico, soa como espécie de síntese de sua vida e carreira, além de conciliar glorioso passado musical do artista com um futuro não menos promissor.

Do passado, João retoma sua histórica e mítica parceria com Aldir Blanc. Para o futuro, João confirma a excelência de seu mais recente parceiro constante, o próprio filho Francisco Bosco. Assim, meio sem querer, no seu novo show, João Bosco repassa toda sua trajetória musical. Vê-lo desfiando seu amplo leque musical em "Não vou pro céu, mas já não vivo no chão" é, como o título indica, voar pela própria história singular da música brasileira.

 

MEC reabre inscrições do Fies para novos alunos

27 de Fevereiro de 2015

O Ministério da Educação reabriu na última segunda-feira, dia 23, o sistema para novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As inscrições pelo Sistema Informatizado do Fies (SisFies) podem ser feitas até o dia 30 de abril, no site do programa.

Após a validação da inscrição, o estudante tem dez dias para comparecer a um agente financeiro do Fies, contados a partir do terceiro dia útil subsequente à data da validação, para formalizar a contratação do financiamento.

 

Inscrição

Para se inscrever, o estudante deve acessar o SisFies e informar os dados solicitados. No primeiro acesso, é necessário informar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), data de nascimento e e-mail, além de cadastrar uma senha.

Após validar o cadastro, o estudante pode prosseguir com a inscrição informando o curso e a instituição de ensino em que vai estudar, bem como dados sobre o financiamento solicitado.

Em seguida, o estudante terá dez dias para validar a inscrição na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) em sua instituição de ensino. A próxima etapa é validar as informações com um agente financeiro do Fies, também com prazo dez dias.

No ato da inscrição, o estudante deve escolher a instituição bancária e sua agência de preferência. Atualmente, somente a Caixa e o Banco do Brasil atuam com o programa. O sistema disponibiliza o seguinte número de telefone para tirar dúvidas: 0800 61 6161. 

Jessier Quirino volta a Natal com o espetáculo Papel de Bodega

noticias 27 de Fevereiro de 2015

Quirino faz do seu recital uma contação de histórias, ditas, cantadas e declamadas

Papel de Bodega é o nome do novo espetáculo que o poeta Jessier Quirino faz em Natal nesta sexta-feira, 27 de Fevereiro, no Teatro Riachuelo.

Sempre de olho na cena interiorana, por vezes, cômicas, descritivas, saudosistas ou visuais, Quirino faz do seu recital uma contação de histórias, ditas, cantadas e declamadas, que leva seu público a revisitar as bases sertanejas onde nasceram ou de onde vieram pais e avós.

Num recital de produção enxuta, com duração de uma hora e meia, conduzida por uma memória admirável, o poeta apoia-se basicamente à uma boa luz, cenário e a dois músicos de grande versatilidade: Roberto Muniz (violões, acordeom, teclado, percussão e vocal)  e Arnoud Costa (sax alto, tenor, flauta, clarinete, violão, teclado e vocal), que fazem a cama para poemas, causos e canções.

O nome do espetáculo vem do título do mais recente trabalho de Jessier Quirino, o livro e CD Papel de Bodega (Edições Bagaço) que teve a capa inspirada numa velha caderneta de fiados do Cariri paraibano. 

Com o sucesso obtido por onde tem passado, Quirino confirma a palavra dada por Severino Abufelado (personagem do livro): - É poesia que puxa o cabra pra dentro feito um funil destampado. É grossa pra ser palito e fina pra ser espeto. 

Pescador de Sons é o novo CD do músico potiguar, Carlos Zens

noticias 27 de Fevereiro de 2015

Carlos Zens, é um músico potiguar, criado no bairro das Rocas

O compositor, flautista e cantor potiguar Carlos Zens lançou. na última quinta-feira, dia 27, no Teatro Alberto Maranhão, seu mais novo CD "Pescador de Sons". O novo CD chega carregado de alegrias, com Carlos Zens interpretando clássicos da música popular e potiguar brasileira e da música universal, numa diversidade de ritmos inspirados em sua profunda contemplação com as raízes e matizes do povo potiguar.

O CD é composto de 17 faixas, com músicas autorais, de outros compositores potiguares e grandes mestres da música brasileira e universal, fazendo releituras, criativas de grandes obras como: Tema da 5ª Sinfonia/Ciranda do Sossego (Beethoven e Carlos Zens), Calango da Praia/Araruna (Carlos Zens/Domínio Público), "Um ponto em baixo, um ponto em cima" (Tico da Costa), entre outras.

 

O artista

Carlos Zens,tem uma história musical que há 30 anos é desenvolvida através de seus estudos, pesquisas, reflexões, criações, que resultam numa produção musical fundamentada na musicalidade da tradição, na valorização da música como elemento de formação do ser humano e de compreensão da história cultural do Brasil, especialmente nordestina, potiguar. Sua musicalidade revela formas de viver, contextos, lugares, cenários e situações da vida no sertão, no litoral, suscitando a imaginação natural do ser humano, sentimentos e sensações que provocam imagens diversas, baseadas em experiências diversas.

Carlos Zens é cantor, compositor, instrumentalista, flautista e arranjador. Foi criado no bairro das Rocas. Estudou música na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Bacharelou-se pelo Instituto de Artes da UNESP (Universidade Estadual Paulista).

Toca vários instrumentos de sopro, entre eles, sax soprano, flautim e pífaro, sendo flautista da Banda Sinfônica de Natal e também professor do mesmo instrumento no Solar Bela Vista - SESC, Rio Grande do Norte.

Em 1983, ingressou na Banda Sinfônica da cidade de Natal. No ano de 1986 fez o primeiro recital de flauta e piano na capital potiguar. Entre os anos de 1988 e 1989 integrou a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. 

Participou da "3º Semana Nacional de Música Brasileira", na cidade de Vitória, Espírito Santo, apresentado-se ao lado da pianista Adriana Francato. Participou também do "V Festival Nossa Música", realizado pela Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo.

Em 1992, passou a atuar no "Projeto Escola Aberta", da Fundação do Desenvolvimento para Educação, na cidade de São Paulo, apresentando oficinas culturais. Dois anos depois, em 1994, participou de homenagens a Tom Jobim no programa "Nas Quebradas do Sertão", apresentado pelos radialistas Amorim Filho e Expedito Duarte, na Rádio Bandeirantes. No ano seguinte, atuou no "Projeto Seis e Meia", em Natal, com o compositor paraibano Vital Faria. 

No ano 1996 lançou o primeiro CD, "Potyguara", uma produção independente, no qual interpretou, entre outras, as músicas "Água Marinha", "Alma Rosa" e "Amizade", todas de sua autoria. No mesmo ano, participou do "Projeto Seis e Meia", em Natal, apresentando-se ao lado de Roberto Menescal e Wanda Sá. 

Em seguinda, em 1997, apresentou-se no "Projeto Pixinguinha", no Rio de Janeiro juntamente com Nelson Sargento e Família Roytman. 

Em 2001, participou do "Projeto Cultural Banco do Nordeste", em Fortaleza, no Ceará. Na mesma época, participou do "Circuito Cultural Banco do Brasil", em Natal e do "Festival de Inverno de Guaranhuns", em Pernambuco. No ano de 2004 lançou o CD "Fuxico de feira". Em 2005 participou do "Projeto Pixinguinha" que começou no Rio de Janeiro, partindo depois para uma turnê nacional com o projeto. Neste mesmo ano foi o ganhador do "Troféu O Poti", sendo um dos vencedores do "Prêmio Cultural Diário de Natal" na categoria "Música". 

 


JM