Ano XIII | Edição 750 | 05 de Julho de 2015

CULTURA

19 de Junho de 2015

"O dia em que Sam morreu" neste final de semana no Teatro Alberto Maranhão

noticia

A peça já conquistou prêmios em vários festivais em diversos países da América e do mundo

Os questionamentos sobre os limites do mundo atual e suas consequências são o tema da peça "O dia em que Sam morreu", que chega a Natal em duas sessões nesta sexta-feira e sábado, 19 e 20 de junho, às 20h, no Teatro Alberto Maranhão (TAM). 

Selecionado pelo Programa Petrobras Cultural, a apresentação é assinada pelo grupo Armazém Companhia de Teatro, tem direção de Paulo de Moraes e trilha sonora original executada ao vivo pelo diretor musical Ricco Viana.

A ideia da montagem é representar os impasses da sociedade contemporânea, como falta de ética, abuso de poder e crise moral.  Para isso, são encenados acontecimentos sobre a aplicação de métodos nada ortodoxos para subir na carreira por um cirurgião-chefe; a troca de ideias para tentar distinguir o que é ou não correto entre um cirurgião de moral flexível e uma juíza criminal; e, o questionamento sobre o peso e a medida das coisas por uma garota de programa com o pai doente e um velho palhaço que convive com o Mal de Alzheimer.

A peça já conquistou prêmios nos festivais de Edimburgo (Escócia) e Avignon (França), além de ter sido escolhida como a Melhor Estreia Teatral de 2014 pelo jornal Folha de São Paulo. O espetáculo cumpre temporada em Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Fortaleza e Salvador. O grupo Armazém Companhia de Teatro é natural de Londrina (PR) e se concretizou no Rio de Janeiro encenando espetáculos como "Toda nudez será castigada", "Inveja dos Anjos" e "Alice através do espelho". 

“Inventário do Possível” é a mais nova obra do professor Tarcísio Gurgel

noticias 19 de Junho de 2015

Tarcísio Gurgel: professor universitário e autor de várias obras

O escritor e professor Tarcísio Gurgel lança mais uma obra. O livro "Inventário do Possível" remonta suas origens fincadas lá para as bandas de Mossoró e deixa no ar a expectativa por um novo volume memorialista sobre suas aventuras como jornalista, ator de teatro, dramaturgo e professor universitário. O lançamento em Mossoró já aconteceu. Em Natal acontece dia 2 de julho no Teatro Alberto Maranhão.

Gurgel ressalta que este pode ser apenas o primeiro volume de seus rompantes autobiográficos. "Tenho um material bastante extenso, já redigido, mas que ainda precisa ser trabalhado. É justamente os próximos capítulos desse 'Inventário do Possível', onde relato o período pós-retorno do Rio de Janeiro onde fui fazer um tratamento médico em 1959. Esse primeiro livro é todo voltado para meu pai, minha mãe, meus irmãos e os cenários de Mossoró; não deixa de ser um rito de passagem para a maturidade", confessou Tarcísio, do alto de seus 69 anos. "Uma idade especialíssima", comenta.

 

Quadrilhas juninas se apresentam no município de São Gonçalo do Amarante

noticias 19 de Junho de 2015

O cortejo junino reúne, a cada edição, aproximadamente um público de cinco mil pessoas

A Fundação Cultural Dona Militana realizou, na última quinta-feira, (18) o Cortejo Junino 2015. O evento faz parte do calendário festivo do mês de junho e reúne as quadrilhas tradicionais e estilizadas do município. São 12 grupos são-gonçalenses que recebem o apoio da Prefeitura Municipal, através do incentivo cultural, e em contrapartida participam do evento mostrando as danças e o colorido da tradição junina. A concentração aconteceu em frente ao Teatro Municipal às 16h.

De acordo com a Fundação Cultural, o cortejo junino reúne, a cada edição, aproximadamente cinco mil pessoas entre quadrilheiros e o público. Participaram do cortejo as quadrilhas juninas Arrasta Pé (Regomoleiro), As Bibas de Santos (Santo Antônio), Brilho das Estrelas (Centro), Brilho Nordestino (Barreiros), Balão Dourado (Guanduba), Bate Coxinha (Massaranduba), Cabloco Nordestino (Tapará), Coração Nordestino (Jardim Lola), Sacode (Barro Duro), Os Piratas (Centro), Piguetes (Poço de Pedra) e Império Junino (Bela Vista).

 

Renato Teixeira e Sérgio Reis juntos no show Amizade Sincera

noticias 19 de Junho de 2015

A dupla encanta com músicas sertanejas rural brasileira que fazem parte do repertório

Renato Teixeira & Sérgio Reis apresentam o show Amizade Sincera II, projeto que une os dois amigos da vida no palco. Com realização da Opus, a dupla se apresenta no dia 26 de junho, no Teatro Riachuelo. 

O repertório inclui composições da música sertaneja rural brasileira como Deus e Eu no Sertão, Cuitelinho, Beijinho Doce, Canção da América, Cabecinha no Ombro e Saudade Danada, trazendo ainda canções inéditas como A Visita da Canção, uma linda homenagem de Renato Teixeira ao amigo Sérgio Reis.

A banda, que complementa o show, conta com a participação de um filho de Renato, Chico Teixeira, no violão de doze cordas, e um filho de Sérgio Reis, Paulo Bavini, na viola de dez e violão; o grupo ainda conta com Levy no baixo e Natan Marques no violão e na guitarra. Os ingressos custam: Balcão Nobre R$ 50,00; Frisas R$ 90,00; Plateia B R$ 110,00; Plateia A  R$ 130,00; Cama rotes R$ 190,00. 

Prefeito busca parceria com UFRN para eventos culturais

noticias 19 de Junho de 2015

Prefeito Carlos Eduardo se reuniou com a reitora da UFRN, Ângela Paiva

O prefeito Carlos Eduardo esteve na última segunda-feira (15) uma reunião com a reitora da UFRN, Ângela Paiva, para tratar de uma série de parcerias entre a Prefeitura e a Universidade. Um dos temas que levaram o prefeito à reitoria foi a possibilidade de a UFRN participar por meio do seu departamento de Artes de uma mostra da obra do artista plástico norte-rio-grandense Rossini Perez, que hoje mora no Rio de Janeiro. 

Carlos Eduardo esteve com o artista no Rio acompanhado do secretário de Cultura, Dácio Galvão, e do diretor da Sala Natal, Franklin Jorge, quando trataram da possibilidade de ser montada uma mostra do trabalho dele em Natal e também mantiveram contatos com a museóloga, Mônica Xexéo, diretora do Museu Nacional de Belas Artes, que abriga 150 obras do artista.

A idéia é usar alguns dos espaços da UFRN para abrigar também a mostra já que a Prefeitura não dispõe de um lugar com espaço suficiente para receber essa exposição. Também foi tratado sobre a intenção do artista de doar parte do seu acervo para alguma instituição potiguar que se interesse e tenha a estrutura para abrigá-lo. 

A reitora Ângela Paiva se mostrou interessada em abrir espaços para receber a exposição de Perez e acionou o Núcleo de Arte e Cultura da UFRN para analisar a possibilidade de formação dessa parceria. 

Também foram tratadas na reunião questões relativas a ciclovia que está sendo construída no Campus Universitário e uma solução de trânsito para desafogar os congestionamentos no acesso de Nova Descoberta para o anel viário. 

Exposição "Diálogos às Vistas" fica aberta ao público durante todo mês

noticias 19 de Junho de 2015

A exposição tem como objetivo discutir o contemporâneo, nossa época e suas sombras

A exposição Diálogos às Vistas - Tradição/Contemporaneidade, um dos projetos aprovados no edital do Fundo de Incentivo a Cultural (FIC 2014), foi aberta ao público na última quarta-feira (10), na Galeria Newton Navarro, na Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte), ficando disponível para visitação ao público durante todo este mês de junho. A exposição é resultado de quase um ano de encontros e discussões em que participaram artistas, curadores, pesquisadores, historiadores, filósofos, escritores e estudantes.

O objetivo da exposição é discutir o contemporâneo, nossa época, suas sombras, suas potencias e possibilidades. Para isso, foram selecionados três artistas individuais - Dora Bielshowsky, Isadora Gomes e João Pedro Tavares, além do Coletivo ES3, bastante respeitado na área de performance no território potiguar e nacional.

"Tomamos como critério artistas jovens, aqueles que tínhamos conhecimento de suas pesquisas poéticas. O número reduzido de participantes se deve ao montante dos recursos disponível (FIC)", explica a curadora Sânzia Pinheiro.

Sânzia ressalta que cada artista tem seu papel fundamental na exposição, através de um conjunto de obras que serão capazes de abrir uma fenda, um espaço de crítica e reflexão sobre o nosso presente. "Ao mesmo tempo queremos dá visibilidade a potência da arte contemporânea em levantar questões sobre nossas dinâmicas, os processo históricos, as relações de saber como uma das vias que sustentam as relações de poder", complementa a curadora.

Diante disso, o público poderá esperar ver na exposição "Diálogos às Vistas - Tradição/ Contemporaneidade" obras que discutem a política, a religiosidade, as paisagens sonoras, o corpo, questiona os nossos símbolos (do RN), a linguagem, a memória e, como não poderia deixar de ser, o tempo.

Embora tenha demorado a iniciar suas atividades, o projeto Diálogos às Vistas não esteve parado. De acordo com seus proponentes, Sânzia Pinheiro e Jean Sartief, o grupo procurou dinamizar, até onde podiam, a realização de encontros internos, discussões virtuais, troca de informações, textos, visitas a espaços como o Museu de Cultura Popular, entre outros, além da conversa e interação com diversos estudiosos desse campo.

Ao longo desse tempo, a curadora Sânzia Pinheiro se reuniu com os artistas, promovendo discussões e questionamentos que ajudaram os artistas a se nortearem em meio a tantas informações. O resultado disso tudo é a produção da boa arte contemporânea, por meio de fotografias, insta-lações, performances e objetos que prometem gerar uma boa reflexão, tendo em base essa tradição e contemporaneidade que nos cerca a cada dia e nos constrói.

O projeto Diálogos às Vistas - Tradição/Contemporaneidade teve como ponto de partida o livro de Durval Albuquerque Júnior, "A invenção do Nordeste" e uma inquietação sobre esse nordeste tradicional, que se contrapõe, ao sudeste como o lugar da modernidade. Essa malemolência institucional da cidade Natal.  


JM